POR Ascom/Gilson Dultra, 01 jan 2015, 00H00

Curso de História (Novo)

O CURSO

O Curso de Licenciatura em História do Campus I, da Universidade do Estado da Bahia- UNEB, busca contemplar a flexibilidade no currículo, possibilitando adequações permanentes, com vistas à atualização, incorporando as novas tendências e abordagens na produção do conhecimento histórico. O currículo prevê, em linhas gerais, a inexistência de pré-requisitos, por ter uma concepção de conhecimento não-linear, permitindo que o próprio aluno construa o seu currículo a partir de suas áreas de interesse. Contudo, preocupado em evitar possíveis transtornos já observados em outros campi da mesma Universidade, este Curso firma a obrigatoriedade de três momentos de pré-requisitos: um, referente ao componente curricular “Pesquisa Histórica”, entre o primeiro e o segundo e entre estes e os demais semestres, por compreender as dificuldades de avançar na pesquisa antes do estudo de métodos de investigação e a produção de um projeto de pesquisa, necessariamente nessa ordem. O outro pré-requisito aqui estabelecido localiza-se entre o primeiro e os demais semestres do componente curricular Estágio Curricular Supervisionado.

Para instaurar uma necessária sintonia do Eixo dos Conhecimentos Científico-Culturais com o Eixo de Formação Docente, ficam estabelecidos dois pré-requisitos, ou concomitância: um, entre os componentes curriculares Europa e Brasil, no sexto semestre, e o componente curricular Estágio Curricular Supervisionado, também no sexto semestre; outro,entre os componentes curriculares Europa e Brasil, no sétimo semestre, e o componente curricular Estágio Curricular Supervisionado, também no sétimo semestre.

Tem-se como pressuposto a indissociação entre teoria e prática, sendo a prática de caráter interdisciplinar e constante durante todo o curso, atendendo a uma formação que permita uma inserção na realidade em que irá atuar, percebendo a prática como parte indispensável do processo de aprendizagem.

Por outro lado, acreditando na inter-relação entre ensino e pesquisa, privilegia a formação do professor-pesquisador como um caminho para a permanente construção do conhecimento e ressignificação de conteúdos a serem trabalhados nos currículos escolares.

O curso está organizado a partir de três eixos temáticos: Eixo dos Conhecimentos Científico-culturais, Eixo de Formação Docente e Eixo das Atividades Complementares, que norteiam a organização dos componentes curriculares, tomando como base um conjunto de competências a serem desenvolvidas pelos graduandos.

Esses componentes atendem aos diferentes tempos e temporalidades, nomeiam alguns temas de relevância, estabelecem diálogo permanente com outras áreas do conhecimento das ciências humanas e interagem com a dimensão prática da formação profissional podendo ser trabalhados em diferentes modalidades, como: disciplinas, oficinas, seminários temáticos, grupos de estudos, orientação de TCC, grupos de pesquisa, estágio, monitorias de ensino e extensão, etc.

Neste sentido, os componentes ora propostos vão além das antigas disciplinas do currículo mínimo, estabelecendo uma maior autonomia tanto para o professor quanto para o aluno na construção dos conteúdos curriculares indispensáveis à sua formação, no sentido de privilegiar temas que melhor contribuam para sua atuação profissional. Dada a impossibilidade de se abarcar “a história de todos os tempos e sociedades”, o exercício consciente da escolha de conteúdos deve contemplar na educação básica a discussão sobre os problemas locais, nacionais e mundiais, consolidando o exercício da cidadania.

Os Parâmetros Curriculares Nacionais para a Educação Básica indicam alguns temas transversais que devem ser trabalhados por todas as áreas do saber, em uma perspectiva interdisciplinar de formação integral do cidadão. São temas transversais: Ética, Cidadania, Pluralidade cultural, Educação Sexual e Meio Ambiente.

Um curso que, como este, ao tratar da formação de profissionais da educação, enraíza-se em princípios éticos e democráticos, necessariamente, inclui a Pluralidade Cultural como um dos pressupostos imperativos a nortear a sua concepção geral. Dessa forma, toda e qualquer atividade configurada neste projeto educacional terá, por base, o respeito e valorização das características próprias de cada grupo social e étnico que compõe a sociedade brasileira, bem como deve empenhar-se, no que lhe competir, para a promoção da igualdade de tratamento, oportunidade e representação entre as diferenças raciais, de gênero, etárias, de orientação sexual e de confissões religiosas.

Uma das principais características histórico-civilizatórias da sociedade brasileira é a diversidade de povos e grupos que a compõe. É sabido, entretanto, que mesmo sendo essa característica um traço distintivo da nossa riqueza cultural, historicamente as relações entre esses diferentes povos e grupos têm se desenvolvido sob o signo da desigualdade econômico-social e discriminações, entre estas, principalmente as de caráter étnico-racial. A hegemonia, ainda hoje exercida com fundamento nos valores brancos eurocêntricos, provocou subordinação das culturas não-hegemônicas propiciando a emergência de ideologias anti-humanas tais como as variadas espécies de racismo, xenofobia  e intolerância.

Fluxograma

Estrutura Curricular

Docentes

CONTATOS:

Tel: (71) 3117-2443
E-mail: colegiadohistoria6@gmail.com


  • No Related Post


Envie uma mensagem:



Em Destaque