POR Ascom/Toni Vasconcelos, 18 fev 2016, 12H55

Gestão Universitária multicampi debate prioridades e planeja ações

Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

reuniao_DI

Reunião foi presidida pelo reitor e pela vice-reitora da universidade. Fotos: Danilo Oliveira/Ascom

Com o objetivo de orientar a continuidade do processo democrático, transparente e qualificado da administração institucional, as Equipes Central e Setorial de Gestão Universitária (ECGU e ESGU) da UNEB participaram de reunião administrativa no dia 1º de fevereiro, no Departamento de Educação (DEDC) do Campus I da universidade, em Salvador.

A atividade teve como proposta apresentar o Boletim Informativo Gerencial 2015, avaliar conjuntamente as iniciativas promovidas no último ano e dialogar sobre o planejamento das ações institucionais para 2016 e próximos anos de gestão.

O encontro foi aberto pelo reitor da UNEB, José Bites de Carvalho, com informes relacionados às Leis nº 13.471/2014 e 13.458/2015 e ao Decreto nº 16.529/2016.

A Lei nº 13.471/2014 altera a Lei nº 6.677/1994 e versa sobre modificações em parte do regime de concessão de vantagens dos servidores públicos estaduais. Já a Lei 13.458/2015 institui o Projeto Estadual de Auxílio Permanência aos Estudantes em Condições de Vulnerabilidade Socioeconômica das Universidades.

O Decreto nº 16.529/2016 disciplina a concessão dos adicionais de insalubridade e periculosidade para servidores estaduais. Sobre o tema, o reitor apresentou todos os esforços empreendidos pela administração central da universidade para restabelecimento célere do pagamento do adicional e para a quitação dos valores retroativos do benefício dos servidores que fazem jus ao seu recebimento.

O Vestibular UNEB 2016 também esteve em pauta. Professor Bites destacou o trabalho de toda a ECGU para a realização do processo seletivo dentro da normalidade e solicitou ainda o apoio dos diretores de departamento para a garantia desta meta.

Descentralização administrativa e orçamentária

Os avanços no processo de descentralização de competências administrativas e de recursos públicos da gestão, proporcionados pela publicação no Diário Oficial do Estado (DOE), na edição de 9 de janeiro, da Portaria 0089/2016 também foram destacados durante a reunião.

A portaria delega aos diretores de departamento, como representantes legais da universidade, competência para assinar contratos administrativos e seus respectivos termos aditivos, de apostilamento, e de reconhecimento de débito, referentes ao funcionamento das respectivas unidades.

A medida visa assegurar maior rapidez e objetividade a rotina administrativa e financeira da instituição, tornando o serviço público mais eficiente e produtivo.

“Isso mostra que estamos pensando em um modelo de descentralização efetivo, para que possamos diminuir a estrutura central, atender melhor os segmentos e viabilizar a funcionalidade da estrutura pública”, explicou o professor Bites, destacando que a iniciativa vai redimensionar a estrutura do Campus I, permitindo a reorganização da parte acadêmica.

O reitor aproveitou a oportunidade para informar a toda a gestão universitária sobre o comunicado do governo do estado, através de ofício da Secretaria de Administração do Estado (Saeb),  para a ocupação de prédio no Complexo Oscar Cordeiro, em Água de Meninos, na Cidade Baixa, em Salvador. A proposta é agrupar em um único espaço toda a estrutura administrativa da universidade.

A instalação passará a abrigar toda a estrutura administrativa da UNEB. Esta iniciativa visa otimizar o uso do espaço e faz parte da política de revitalização da região da Calçada.

“Unir toda a administração central da universidade em apenas um local servirá para que possamos qualificar os espaços, o atendimento e garantir o fluxo adequado dos processos institucionais”, salientou o reitor.

Gestão Administrativa do Campus I

Com a mudança da estrutura administrativa para a Cidade Baixa, surge a necessidade de pensar a gestão física e administrativa do Campus I da universidade, em Salvador.

De acordo com o professor Bites, a Equipe Central de Gestão Universitária está atenta a esta demanda e já definiu uma comissão com esse fim, para a “garantia da ocupação de forma adequada dos novos espaços que serão disponibilizados com o deslocamento de setores para a Calçada”.

A partir da reorganização administrativa do Campus I, a expectativa é que os diversos tipos de processo, a exemplo dos de serviços, possam passar a serem compostos coletivamente, para todos os departamentos da unidade, a fim de garantir que a prestação de serviço seja melhor ofertada e fiscalizada.

Boletim Informativo Gerencial

Outro tema de destaque durante a reunião foi o Boletim Informativo Gerencial das despesas executadas no exercício de 2015 na universidade. O reitor e os gestores das Pró-Reitorias de Administração (Proad), Luzinete Gama, de Planejamento (Proplan), Marta Miranda, e da Secretaria Especial de Contabilidade e Finanças (Seconf), Márcio Sampaio, apresentaram informações sobre a execução orçamentária financeira e sobre o fortalecimento dos processos de planejamento e gestão do fluxo financeiro.

Em 2015, a Gestão Universitária deu continuidade aos esforços para ampliar o alinhamento entre o orçamento e as atividades finalísticas da universidade, e com essa medida ajudou a qualificar ainda mais o relacionamento institucional entre a universidade e as Secretarias de Administração (Saeb), da Fazenda (Sefaz) e de Planejamento (Seplan) do Estado da Bahia.

Essa qualificação já produziu resultados expressivos para a UNEB, a exemplo da execução de 99% do orçamento da instituição no último ano, da redução das despesas de exercícios anteriores (DEA) e da garantia dos recursos necessários à repactuação com as empresas terceirizadas.

Ainda estiveram em pauta o orçamento da universidade em 2016, informes sobre a gestão de pessoas da instituição e a os processos com as empresas terceirizadas, além do plano de metas das pró-reitorias para os anos de 2016 e 2017.

Prioridades: graduação e pós-graduação

A gestão universitária vai concentrar maiores esforços este ano também no campo acadêmico. Para isso as pró-reitorias da área já estão se mobilizando para avançar na conquista de suas principais metas.

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) vai avançar nas discussões para a construção democrática do redimensionamento curricular de todos os cursos de graduação da UNEB, objetivando adequar os currículos às normas e diretrizes dos órgãos públicos reguladores e aos princípios de organização curricular da política de graduação da universidade.

“Vamos também qualificar e fortalecer as atividades de estágio curricular obrigatório para a formação dos estudantes da graduação”, informou Káthia Sales, pró-reitora.

A Prograd quer ainda ampliar os convênios e fomentar a mobilidade discente tanto no âmbito interno da universidade quanto com outras instituições de ensino superior.

Na área da pós-graduação, a principal prioridade este ano será a consolidação das ações de fortalecimento dos programas stricto sensu da UNEB, com vistas à avaliação quadrienal realizada pela Capes/MEC.

Outra meta a ser perseguida pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PPG) é uma articulação com os professores doutores da universidade destinada a promover ações de expansão da pós-graduação nos campi da instituição.

“Vamos também buscar fortalecer os grupos de pesquisa em atividade na UNEB por intermédio dos programas de Iniciação Científica (IC)”, acrescentou o pró-reitor Atson Fernandes (PPG).

Prioridades: extensão e ações afirmativas

Articular as atividades extensionistas da universidade com os cursos de graduação em todos os 24 campi da instituição. Esse é o principal desafio que a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) vai priorizar este ano.

“É o que chamamos de curricularização da extensão. Essa meta já foi iniciada em 2015, e agora queremos sensibilizar os colegiados de curso para construirmos juntos esse processo tão importante da vida universitária”, contou a pró-reitora Maria Celeste Castro (Proex).

Para agilizar esse diálogo com os cursos, o setor está produzindo um guia da curricularização, documento de caráter propositivo que será distribuído a todos os colegiados e departamentos, a fim de orientar os debates.

“Vamos também visitar os colegiados e cursos para ouvir as sugestões e críticas da comunidade acadêmica”, disse a gestora.

As ações de curricularização da extensão serão desenvolvidas juntamente com o processo de redimensionamento curricular, coordenado pela Prograd.

Este ano, a Proex vai avançar ainda na construção de condições mais favoráveis para que os departamentos desenvolvam melhor suas ações de extensão, por meio de editais e do assessoramento às unidades na capital e interior do estado.

Já a Pró-Reitoria de Ações Afirmativas (Proaf) vai focar na criação do Mestrado Profissional em Educação para Relações Étnico-raciais, em rede nacional.

Contando com a parceria do Centro de Estudos dos Povos Afro-Índio-Americanos (Cepaia) da UNEB e em articulação com a Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as), o projeto do novo mestrado está adiantado, devendo ser encaminhado este ano para a avaliação da Capes.

O setor vai também se dedicar a ações direcionadas à consolidação de um programa de inclusão e acessibilidade na universidade – em parceria com Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Praes) no que se relacionar ao segmento discente.

Outra prioridade da Proaf é a realização da Conferência dos Estudantes Cotistas da UNEB, possivelmente em maio, em Salvador.

“Antes da conferência, devem acontecer encontros preparatórios nos departamentos”, salientou a pró-reitora Marluce Macedo (Proaf), esclarecendo que o objetivo do evento é construir um programa institucional de permanência na universidade.

Por fim, a Proaf que iniciar, este ano, a execução do projeto de intercâmbio para estudantes de graduação e pós-graduação (doutorado) na área de relações étnico-raciais.

O projeto integra o programa Abdias do Nascimento, da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi/MEC), de cujo edital a UNEB foi uma das instituições vencedoras.

“O nosso intercâmbio se dará com duas universidades dos Estados Unidos. Só estamos aguardando a liberação do recurso federal do órgão federal”, contou a pró-reitora.


  • No Related Post


Envie uma mensagem: