POR admin, 10 nov 2010, 22H19

Palestra celebra os 35 anos da independência de Angola

Danilo Oliveira
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação


A UNEB vai receber a visita do vice-reitor da Universidade Kimpa Vita, Heitor Timóteo, que palestrará sobre a instituição angolana nesta quinta-feira, dia 11 de novembro, às 10h,
no auditório do Centro de Pesquisa em Educação e Desenvolvimento Regional (CPEDR), no Campus I, em Salvador.

O evento integra as comemorações pelos 35 anos de Independência de Angola, que tiveram início nesta quarta-feira com programação na Associação Comercial do Estado da Bahia, na capital.

O palestrante será recepcionado pelo reitor da UNEB, Lourisvaldo Valentim. Ambos os gestores vão inicar negociações para celebração de um convênio acadêmico e científico entre as instituições.

A palestra, gratuita e aberta ao público externo, é uma promoção do Centro Cultural Casa de Angola na Bahia, com apoio da Assessoria Especial para Cooperação Internacional (Asseci) da UNEB e do Grupo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros de Línguas e Culturas (Geaalc), vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da universidade.

Coordenadora do Geaalc, Yeda Pessoa de Castro explica que durante sua visita à Universidade Kimpa Vita o vice-reitor manifestou para ela interesse em estabelecer contato com a UNEB.

“A Universidade Kimpa Vita é uma jovem, porém importante instituição pública africana. Fica situada na província de Uíge, onde antigamente se encontrava o reino do Congo, local que foi responsável por profundas influências nas modificações da língua portuguesa falada no Brasil”, frisa Yeda, que também é consultora da Casa de Angola.

Pela UNEB, participam ainda da palestra a assessora Adrianna Freire (Asseci) e os pró-reitores de Extensão (Proex), Adriana Marmori, e de Graduação (Prograd), José Bites. O adido cultural da Embaixada da República de Angola no Brasil, Camilo Afonso, também vai prestigiar o evento.

Colonização opressora

A região onde se encontra o país africano tornou-se colônia de Portugal no final do Século XV. A partir do Século XVI Angola iniciou movimento de resistência à colonização portuguesa. Porém, por muito tempo ainda a região fez parte de rota para o tráfico de escravos.

As fronteiras atuais do país foram definidas no Século XIX, durante uma conferência em Berlim promovida por potências do continente europeu.

As lutas efetivas pela libertação de Angola foram iniciadas em 1960, resultando na proclamação da independência do país em 11 de novembro de 1975.

“São 35 anos de independência após uma colonização opressora de séculos. As celebrações representam uma possibilidade de prestar homenagem a esse povo que honrosamente conquistou sua independência e seu atual nível de desenvolvimento”, pontua Yeda.

Informações: Geaalc/Campus I – tel. (71) 3117-2417.

Imagem (home): Divulgação




Envie uma mensagem: