POR Ascom/Kleber Palafoz, 15 jul 2011, 16H19

Projeto Canudos

A Universidade do Estado da Bahia, com o apoio de mais de quarenta organizações, criou o Projeto Canudos, o qual envolve uma equipe multidisciplinar e institucional, com pesquisas realizadas em diversas dimensões, cujo objetivo é desenvolver a região, capacitar moradores e preservar o patrimônio histórico e cultural.

 O foco deste Projeto é a contribuição para o incremento sustentável da região, a partir das potencialidades locais, tais como turismo histórico, agricultura irrigada e de sequeiro, a  pesca e a piscicultura, a educação para a convivência com o semiárido e as manifestações culturais. Tem como  princípio norteador o desenvolvimento local integrado e sustentável, visando promover o reordenamento do uso do espaço, melhorar a equidade social e o acesso aos recursos.

Nesta nova fase, após quase três anos de pesquisa e atividades conjuntas com a população, a ideia é agregar parceiros, avaliar metas, firmar compromissos e discutir a ampliação das ações.

 No segundo semestre de 2011, o trabalho desenvolvido pela Universidade no semiárido, notadamente na região de Canudos, ganhou destaque na mídia local e nacional, através dos programas veiculadospela Rede Globo, o  Ação e o Aprovado, sendo este último exibido na TV Bahia.

 Ações desenvolvidas pelo Projeto Canudos:

  •  Implantação de uma unidade  de observação de variedades de banana sob cultivo orgânico irrigado, para a criação de frutas mais produtivas e tolerantes às alterações climáticas;
  • Apoio ao artesanato de fibras de bananeira com a criação da Associação das Artesãs do Vaza Barris – AAVB – Sertanejas de Fibra – incentivo do SEBRAE e apoio da UNEB;
  • Incentivo à produção de mel, como a casa do mel – através da – Associação dos Apicultores de Canudos – AAPIC;
  • Perímetro Irrigado: criado pela Cooperativa dos Irrigantes do Vaza Barris – CIVAB – É um sistema de irrigação de uso alternativo, que permite um melhor uso e manejo da água e do solo, dar apoio produtivo aos associados e comercializar os produtos dos mesmos;
  • Valorização da história de Canudos e da cultura regional com a  promoção do turismo histórico, ecológico e ambiental;
  • Educação; a idéia é estimular o uso de novas tecnologias, com o fim de tornar o processo ensino-aprendizagem mais prazeroso, além de valorizar a história e cultura local, investir na área social (projetos que beneficiem os jovens  filhos dos irrigantes), incentivar as áreas esportes,  lazer, cursos profissionalizantes;
  • Projeto da construção da cidade cenográfica  de Canudos, integrando arte, turismo e história, que será palco de encenações sobre a Guerra de Canudos, atraindo turistas e empregando pessoas da região;
  • Inauguração do novo sistema de iluminação do espaço mantido pela UNEB, com investimento da administração central de cerca de R$ 30 mil;
  • Articulação de parceria entre a UNEB e UPC ( Universidade Politécnica  da Catalunha,Espanha.), para implementação de novos centros de estudos e cursos de pós-graduação para  região semiárida, bem como acordos para intercâmbio de professores e atividades conjuntas nas áreas de ensino e pesquisa.

 É um projeto da UNEB, co-financiado pela FAPESB, tendo como instituições parceiras a Universidade Federal da Bahia-UFBA, Universidade Federal de São Carlos-UFSCar, Universidade Federal do Recôncavo Baiano – UFRB, Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza – SEDES e Secretaria de Meio Ambiente – SEMA. Trata-se de uma iniciativa de fomento do desenvolvimento sustentável no semiárido baiano. Esta iniciativa é formada por uma equipe multidisciplinar e interinstitucional, que tem realizado estudos visando soluções inovadoras para os problemas da população da região no que tange a múltiplos aspectos de sua realidade, quer sejam econômicos, sociais, ambientais, históricos e culturais.

 Objetivo Geral: Contribuir para o desenvolvimento da região a partir de pesquisas adaptadas à realidade do semiárido, com forte possibilidade de propor soluções inovadoras que contribuam para o reforço e aperfeiçoamento da infraestrutura socioeconômica e do sistema produtivo existentes, além da preservação do patrimônio ecológico, histórico e cultural. Com isso, visa-se contribuir para a promoção dos meios de sobrevivência de forma a melhorar as condições de vida da população da comunidade e região.

Em Destaque