POR Ascom/Wania Dias, 05 dez 2016, 10H52

Feira de economia criativa reúne microempreendedores baianos

Hércules Andrade
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

x

José Cláudio Rocha, ladeado por Maria Celeste Castro (esq), Leia Vita, Ângela Rocha, coordenou as atividades do evento

Com o objetivo de dar visibilidade à economia empreendedora criativa, a UNEB, por meio do Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidades (CRDH) do Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias (DCHT) do Campus XIX, em Camaçari, realizou a I Feira de Economia Criativa e Cidadania.

O evento, que aconteceu no último dia 1º de dezembro, na Varanda Cultural do Hotel Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador, reuniu autoridades políticas, acadêmicos, pesquisadores, empreendedores, artistas e artesãos.

x

Angelice : oportunidade de divulgar a arte e aumentar a renda

“No passado se entendia a universidade distante da realidade social e o que temos aqui é o resultado de uma sociedade que está engajada com o contemporâneo, pensando desafios nacionais e internacionais para o fortalecimento e empoderamento da cultura das pessoas”, destacou o professor da UNEB José Claudio Rocha, responsável pela ação.

A pró-reitora de Extensão (Proex), Maria Celeste Castro , representou o reitor no evento. “A UNEB sempre apoiou a realização desse tipo de ação, por compreender a relevância dessa discussão. Criamos com todas as instituições e fundações aqui presentes um processo que não é só de conjunção, mas também de disseminação e inovação do conhecimento, ao agregar projetos de pesquisas e ações de extensão para promoção do empreendedorismo comunitário”, frisou a professora Maria Celeste.

A mesa de abertura do evento contou ainda com a participação de Leila Vita, assessora técnica da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), que representou o secretário da Secti, Manoel Mendonça, e a professora Ângela Rocha (Ufba).

“Essa feira traz atores sociais que nos apresentam uma economia aliada à criatividade e a inovação, fomentando a extensão da educação”, destacou a assessora técnica, Leila Vita.

Exposições

A feira contou com a participação de microempreendedores da comunidade acadêmica e também do público externo, que apresentaram aos visitantes diversos produtos como doces, turbantes, livros e artesanato com peças construídas com material reciclável, renda, cerâmica, entre outros.

x

Antônio: conhecer iniciativas inovadoras e trocar experiências

“Essa é uma oportunidade de divulgar a nossa arte, aumentando a renda de quem é da comunidade e faz trabalho artesanal”, destacou Angelice Santos, integrante do Coletivo de Arte e Cultura do Cabula (Cultarte), da Proex.

O ceramista Antônio de Souza, do distrito de Maragogipinho, localizado no município de Aratuípe, na Bahia, também participou da feira.

“Esse é um espaço importante para conhecer pessoas, iniciativas inovadoras e trocar experiências”, destacou Antônio.

A feira contou ainda com a exposição de cartazes intitulada O que é que a Bahia tem?,  do Núcleo de Indicação Geográfica (NIG) da Ufba, além de minicursos, palestras, exibição de cases de economia solidária e empreendedorismo, mostra de curtas e documentários do cinema baiano, e com a apresentação do grupo Vozes do Engenho e do Centro Estadual de Educação Profissional em Artes e Design (Ceep).

A iniciativa recebeu o apoio da Rede de Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (ITCP), do Grupo de Pesquisa em Gestão, Educação e Direitos Humanos (GEDH), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Confira mais fotos desse evento em nosso Flickr.

Fotos: Anderson Freire/Ascom


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: