POR Ascom / Danilo Oliveira, 13 out 2016, 15H59

Comunidade acadêmica da UNEB discute estratégias para captação de recursos

Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

DI_DH_mesa3

A pesquisadora Lynn Alves apresentou experiências adquiridas em iniciativas de captação nos últimos 14 anos

Representantes da comunidade acadêmica da UNEB se reuniram, durante a manhã da última segunda-feira (10), para buscar novas alternativas e discutir estratégias de financiamento para as atividades institucionais.

O debate foi promovido durante o Seminário Captação de Recursos nas Universidades Públicas: Desafios, Perspectivas e Experiências, evento transmitido, via videoconferência, para todos os Departamentos e setores administrativos da universidade.

A mesa de abertura foi presidida pelo reitor da UNEB, José Bites de Carvalho, e contou com a participação da vice-reitora, Carla Liane, da pró-reitora de Planejamento (Proplan), Marta Miranda, do secretário Especial de Relações Interinstitucionais (Seai), Jairo Sá, e da coordenadora do Centro Estratégico de Estudos Comunidades Virtuais, Lynn Alves.

“O que aprendi é que devemos bater na porta insistentemente, até entrar. A gente tem que ocupar esses espaços para nos fortalecermos enquanto instituição e enquanto captadores de recursos”, destacou a pesquisadora da universidade Lynn Alves, sobre a importância da resiliência para docentes, técnicos e estudantes que desejam a aprovação de seus projetos em editais.

Com 14 anos de experiência em iniciativas de captação de recurso, a professora apresentou detalhes do que avalia como “a dor e a delícia” da pesquisa e da extensão; da dinâmica de submissão de projetos e dicas sobre os principais editais de fomento nacionais; além das principais fontes de recurso:

A pesquisadora também ofertou ao público outras alternativas para a captação, a exemplo dos projetos interinstitucionais, das emendas parlamentares, das parcerias com empresas públicas e privadas e crowdfunding (financiamento coletivo).

Outras alternativas

Para o reitor da UNEB, José Bites, a comunidade acadêmica deve estar atenta a todas as oportunidades de captar recursos nas esferas municipais, estadual e federal, entretanto, não deve excluir as alternativas junto à iniciativa privada: “Temos que superar esse descontrole sobre a relação do público-privado no Brasil”.

post_publico

Seminário contou com a participação de gestores, estudantes e técnicos administrativos de diversos campi

O professor Bites avalia que o cenário proposto não deve ser entendido como a substituição dos compromissos e responsabilidades do estado em relação ao financiamento das necessidades institucionais.

Segundo ele, a ideia é que a capacidade de contribuir, enquanto instituição, para o desenvolvimento da Bahia seja ampliada e potencializada por meio de novas ações de captação. O gestor convidou a comunidade para também discutir a execução financeira e a prestação de contas.

“O seminário foi um momento de reflexão e construção coletiva. Vejo que este é o ponto de partida para um tema que deve ser constante na dinâmica da nossa universidade”, ressaltou a vice-reitora, Carla Liane, frisando que é necessário aprender com as experiências de outras instituições, dos grupos de pesquisa e dos programas de pós-graduação.

A gestora avalia que deve haver mais debate com a Fapesb e que a comunidade acadêmica deve acessar a mais editais nacionais, como os do CNPq, da Capes, do Finep, além de “ultrapassar barreiras e investir na captação de recursos externos”, tópico que deve ter destaque na política de internacionalização da UNEB.

O secretário Especial de Relações Interinstitucionais (Seai), Jairo Sá, apresentou questões relacionadas à submissão de propostas de emendas parlamentares e colocou a secretaria à disposição para oferta do suporte necessário para a conquista de novas oportunidades de captação.

Demandas e propostas

Assessora Especial de Cultura e Artes (Ascult) da UNEB, Isa Trigo participou das discussões e salientou a importância da ação institucionalizada para captação de recursos: “É fundamental que a comunidade tenha treinamento e oficinas. As pessoas precisam formatar em suas cabeças o que desejam”.

post_publico1

A comunidade acadêmica apresentou sugestões e dúvidas presencialmente e via videoconferência

O suporte institucional também pautou as contribuições do professor da instituição Sérgio Guerra, atual vice-presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE-BA).

O pesquisador propôs a criação de instrumentos de orientação, a estruturação de um calendário anual (com reuniões mensais), a realização de oficinas e um mutirão dos setores técnicos da universidade para orientação da comunidade acadêmica.

A diretora do Departamento de Ciências Humanas (DCH), Márcia Guena, sugeriu uma estrutura mais dirigida para a captação de recursos na UNEB e solicitou novas oportunidades para orientação de professores, estudantes e técnicos.

Atenta às demandas apresentadas pela comunidade acadêmica, a pró-reitora de Planejamento (Proplan), Marta Miranda, antecipou projetos que já estão sendo executados pelo setor.

De acordo com a gestora, já existe um planejamento para dois eventos por semestre (um seminário e uma atividade de orientação), além da possibilidade de realização de novas ações para atendimento de demandas específicas.

A pró-reitora salientou que o suporte para professores, técnicos e estudantes interessados em submeter projetos continua sendo ofertado e apresentou três documentos que estão em fase de elaboração ou revisão:

  • Manual de Captação de Recursos;
  • Catálogo de Fontes Financiadoras;
  • Cartilha: Entendendo a Linguagem Orçamentária na Captação de Recusos.

“O papel da Proplan é buscar alternativas para sinalizar aos pesquisadores e às unidades da instituição onde têm e de que forma podem captar os recursos. Convocamos a comunidade acadêmica para participar deste processo, para nos ajudar a construir uma política eficiente de captação de recursos”, destacou Marta.

O Seminário é uma iniciativa da Universidade do Estado da Bahia, por meio da Pró-Reitoria de Planejamento e do Observatório de Gestão Universitária Multicampi da UNEB (GestO), este vinculado à Vice-Reitoria da instituição.

Fotos: Juliana Cardoso/Ascom


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: