POR Ascom/Toni Vasconcelos, 25 abr 2016, 16H55

Consu aprova novos cursos e campus avançado; processo estatuinte avança

Toni Vasconcelos
Núcleo de Comunicação
Assessoria de Comunicação

consu_di2

Gestores e representantes da comunidade acadêmica compuseram a mesa de abertura do Conselho Universitário

Novos cursos de graduação e pós-graduação, um novo campus avançado e mais um passo dado no processo estatuinte da universidade.

Essas foram algumas relevantes deliberações do Conselho Universitário (Consu) da UNEB, que se reuniu no Campus VIII, em Paulo Afonso – pela primeira vez na história da universidade – nos dias 30 e 31 passados.

Primeira sessão do Conselho este ano, o encontro teve massiva participação do seus membros vindos de todos os departamentos da instituição e corroborou proposição da atual gestão universitária de interiorizar e democratizar as instâncias deliberativas da universidade.

“Esta reunião do Consu aqui em Paulo Afonso demonstra mais uma vez os esforços das administrações central e setorial para levar aos campi do interior os eventos e decisões da mais elevada importância para a vida da UNEB”, pontuou a vice-reitora Carla Liane.

Agradecendo a afetuosa acolhida da comunidade acadêmica local, o reitor José Bites parabenizou a comissão organizadora e a direção do Departamento de Educação (DEDC) do campus pela qualidade dos trabalhos durante os dois dias do evento.

“Produzimos muito nesta reunião, aprovamos projetos importantes e estratégicos para a universidade. Além disso, foi mais uma oportunidade para dialogar e ouvir as demandas de todos os segmentos da comunidade local, estudantes, técnicos administrativos, terceirizados, professores da graduação e da pós-graduação”, disse o reitor.

A diretora do DEDC, Érika Nunes, ressaltou o quanto proveitoso foi para a comunidade do departamento ter sediado o Consu e mantido esse diálogo direto com os gestores da administração central e conselheiros. “Estamos muito felizes em recepcionar este encontro tão significativo para a universidade e que também valoriza nosso campus”, afirmou.

Na abertura da reunião, vale destacar, a maioria dos presentes à mesa solene discorreu sobre a atual conjuntura política do país, frisando o papel da universidade como espaço de reflexão crítica, de convivência e respeito à diversidade.

Ao final do encontro, os conselheiros aprovaram a divulgação de um nota pública (link abaixo) em defesa da democracia, do Estado de direito e da Constituição Federal.

Novos cursos de graduação e pós-graduação

Na reunião em Paulo Afonso, os conselheiros aprovaram a criação de novos cursos de graduação e de pós-graduação lato sensu e stricto sensu, que vão beneficiar diferentes campi da universidade.

Na graduação, foram criados os cursos de Engenharia de Minas, a ser oferecido no Departamento de Ciências Humanas (DCH) do Campus VI (Caetité), e de Física, no Departamento de Ciências Exatas e da Terra (DCET) do Campus I (Salvador).

No âmbito da pós-graduação lato sensu, o Consu aprovou as especializações em Ensino da Língua Portuguesa e Literaturas, no DCH do Campus V (Santo Antônio de Jesus), e em Alfabetização e Letramento, no Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias (DCHT) do Campus XVII (Bom Jesus da Lapa).

Já pós-graduação stricto sensu da UNEB recebeu expressivo reforço. Foi aprovada a adesão da universidade ao mestrado profissional em História (ProfHistória), em articulação com a Universidade Federal da Bahia (Ufba) e o Instituto Anísio Teixeira (IAT), para oferta em Salvador, além da criação do mestrado profissional em Intervenção Educativa e Social, no DEDC do Campus XI (Serrinha).

O campus de Serrinha vai sediar também o novo doutorado acadêmico da UNEB, em Desenvolvimento Humano e Social, aprovado pelos conselheiros.

O Conselho deliberou a favor ainda da institucionalização do título de Notório Saber na UNEB, proposta da Assessoria de Projetos Interinstitucionais para a Difusão da Cultura (Apidic) da universidade, e a concessão de medalha do Mérito Universitário para a veterana docente Norma Neide.

consu_di3

Reitor José Bites e vice-reitora Carla Liane reuniram-se com funcionários, professores e estudantes do Campus VIII

Campus Avançado de Canudos

Proposta de campanha da atual gestão, foi aprovada pelo Conselho Universitário o Campus Avançado de Canudos, unidade que vai reunir os equipamentos que a universidade já possui naquele município.

De acordo com o coordenador do projeto do novo campus, professor Luiz Paulo Neiva, com a decisão do Consu será implantada em Canudos uma unidade de gestão acadêmica e administrativa “a partir de todo o arcabouço já existente e reforça-se perspectivas formativas, inicialmente com a oferta de cursos na modalidade EaD”.

“Todo o esforço desenvolvido pela universidade, a partir de 1985, resultou na criação do Parque Estadual de Canudos, do Memorial Antônio Conselheiro e, mais recentemente, do Projeto Canudos. Construímos um repertório significativo de estudos e pesquisas, produzido pelo Centro de Estudos Euclides da Cunha (Ceec). Já no Projeto Canudos, temos uma rede formada por mais de 20 pesquisadores e um Fórum de Desenvolvimento Local constituído por 63 entidades da sociedade civil, com ações voltadas para a preservação da memória da Guerra de Canudos, educação para a convivência com o semiárido, arqueologia, arte e cultura, pesca e piscicultura, preservação do bioma caatinga, agricultura irrigada e de sequeiro”, detalhou Luiz Paulo.

O coordenador informou que a Prefeitura Municipal de Canudos doou um prédio ao campus avançado da UNEB, que está sendo reformado para a implantação dos cursos EaD e também de uma academia de ginástica para idosos. E está em construção no local o novo Museu de Canudos, obra da prefeitura em convênio com o governo federal, o qual será repassado também para a UNEB.

“Oportunamente, planejamos desencadear gestões no sentido de se formatar uma rede virtuosa que contemple departamentos, centros de estudos, universidades, pesquisadores e intelectuais que tematizam Canudos e a vida sertaneja”, adiantou o docente.

consu_di1

Na plenária final do encontro, o debate sobre o processo estatuinte da universidade se prolongou por várias horas

Estatuinte avança com nova comissão

O item mais polêmico da pauta dessa reunião do Consu foi a Estatuinte da UNEB – cujo processo já foi instituído pelo Conselho em encontro no final do ano passado.

Após horas de intenso debate, que envolveu principalmente membros da representação docente – pertencentes à Associação dos Docentes (Aduneb) – e da administração central da universidade, os conselheiros deliberaram acerca da composição de uma comissão prévia que se incumbirá de analisar o documento preliminar proposto pela Reitoria (link abaixo) para deflagrar o processo estatuinte.

Por maioria dos votos da plenária, os conselheiros decidiram que essa comissão deve ser composta de nove membros, três de cada segmento da comunidade acadêmica: professores, técnicos administrativos e estudantes.

Os representantes de cada segmento no Consu, com o apoio das respectivas entidades (Aduneb, Sintest e DCE), se comprometeram a promover assembleias gerais ou congressos nos quais serão escolhidos democraticamente os membros para compor essa comissão.

O debate prolongou-se, entretanto, por conta da especificidade da representação dos professores na comissão. Por fim, o Conselho deliberou que os três docentes devem ser definidos assim: um será escolhido pela Aduneb, outro pelos diretores de departamento e o terceiro pela administração central da universidade.

Os nove membros indicados terão seus nomes referendados pelos conselheiros na próxima reunião do Consu, agendada para o mês de junho.

Segundo o conselheiro Wilson Mattos, atual pró-reitor de Ações Afirmativas (Proaf) da UNEB e um dos autores do documento preliminar da Reitoria, essa comissão tem total autonomia de trabalho, podendo inclusive propor outro texto ao Conselho.

“Os nove membros vão elaborar, portanto, um novo documento – ou referendar esse já existente – que vai orientar o andamento do processo, contendo os parâmetros gerais, os valores e princípios que devem fundamentar a proposta de novo estatuto, entre outros pontos”, esclareceu o pró-reitor.

O texto será submetido à apreciação do Consu, que constituirá outra comissão, provisória também, responsável por construir, como base nas orientações desse documento, uma proposta de regimento e metodologia da Estatuinte.

Essa proposta, depois de também aprovada pelo Conselho, definirá, afinal, como se comporá e atuará a Comissão Estatuinte permanente.

“A administração central tinha a obrigação de oferecer um documento para iniciar a discussão do processo, o que foi feito. E, democraticamente, submeteu esse documento ao Consu, que agora definiu essa comissão para analisar o texto. Todo esse trâmite e ampla discussão demonstram que a gestão universitária está absolutamente comprometida com a garantia institucional, a democracia e o respeito à paridade dos três segmentos da comunidade acadêmica em todas as etapas do processo estatuinte”, avaliou Wilson Mattos.

Acesse aqui nota pública em defesa da democracia

Acesse aqui documento preliminar sobre a Estatuinte

Fotos: Toni Vasconcelos/Ascom


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: