POR Ascom/Wania Dias, 08 abr 2016, 17H16

Colóquio reúne pesquisadores para discutir educação em direitos humanos

Danilo Cordeiro
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

x

O evento contou com debates sobre educação de jovens e adultos, cidadania e inclusão. Fotos: Juliana Cardoso/Ascom

Formação de Jovens e Adultos, Cidadania e Inclusão. Esse foi o tema que norteou o Colóquio Internacional de Educação em Direitos Humanos, que aconteceu na última quarta-feira (6), no Campus I da UNEB, em Salvador.

A iniciativa foi realizada em parceria com o Grupo de Educação, Direitos Humanos e Interculturalidade (Gredhi), do Programa de Mestrado Profissional de Jovens e Adultos (MPEJA) da instituição, e com a Universidade Católica do Salvador (UCSal).

A conferência de abertura foi ministrada pelo professor da Universidade de Coimbra Joaquim Luís Medeiros, que abordou o tema Educação de jovens e adultos, cidadania e inclusão.

“Os jovens e adultos têm uma maneira diferente de se relacionar com o conhecimento. Enquanto educamos crianças e adolescentes para futuro, a educação dos adultos tem que resultar em um efeito mais imediato, nossa ferramenta de trabalho são as experiências de vida deles”, explicou o docente.

A programação do evento reservou ainda uma mesa-redonda sobre o tema Educação em Direitos Humanos, Cidadania e Inclusão. A atividade contou com a participação da professora da UCSal Isabel Lima e do assessor especial da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial da Bahia (Sepromi), Ailton Ferreira.

“Além dos espaços formais escolares, a educação dialoga com a cidadania e com a inclusão a partir de experiência da vivência humana, profissional e interdisciplinar na perspectiva inclusiva e cidadã dos direitos humanos”, afirmou a professora.

Para Ailton Ferreira, a inclusão só é possível quando os gestores públicos vivenciam a vida cotidiana da sua comunidade. “Grande parte dos nossos dirigentes nunca estudaram em escola pública ou nunca pegaram transporte público, por exemplo. Isso resulta no afastamento de organicidade de uma cidade, estado ou país. É necessário que esses gestores conheçam a realidade de seu povo”, pontuou o assessor.

Cidadania e igualdade social

A mesa de abertura do evento contou com a participação da professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Vera Capucho, do gerente de pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG), Anibal de Freitas Júnior, e da coordenadora do MPEJA, Tânia Regina Dantas.

Estiveram também presentes na mesa a secretária Especial de Relações Internacionais (Serint), Jardelina Nascimento, o diretor do Departamento de Educação (DEDC) do Campus I, Valdélio Silva, e a coordenadora do colegiado do curso de Pedagogia do Campus I, Mary Valda Sales.

O evento foi coordenado pela professora Graça Costa, que ressaltou a importância da temática abordada no evento. “Estamos aqui para refletir sobre o conceito de cidadania e de desigualdade social. Vamos pensar juntos sobre como incluir a cidadania num mundo tão desigual”, sugeriu a professora, que também coordena o Gredhi.

O estudante do MPEJA, Ubiraci Carlucio, acompanhou a programação do colóquio e defendeu as ações de formação de jovens e adultos . “Cidadania é empoderar esses sujeitos criando caminhos para que desenvolvam uma consciência política e social e tenham vez e voz na sociedade”, salientou o discente.

A programação do colóquio ainda reservou debates e apresentação cultural.


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: