POR Ascom / Danilo Oliveira, 13 mar 2015, 18H15

Mesa-redonda debate sobre Lei Maria da Penha e mulher no mercado de trabalho

Danilo Cordeiro
Assessoria de Comunicação
Núcleo de Jornalismo

DI_DH_mesa3

Gestoras da Universidade participaram da mesa-redonda "A inserção da Mulher no contexto político-social"

Segundo o Mapa da Violência 2012, do Ministério da Justiça, o Brasil possui uma das maiores taxas de homicídio de mulheres do mundo, está na 12ª posição, em um ranking de 73 países.

Essa foi uma das questões abordadas durante a mesa-redonda “A inserção da Mulher no contexto político-social” realizada, na manhã da última quarta-feira (11), no Teatro UNEB, no Campus I da Universidade, em Salvador.

mulher_post1

Professoras, funcionárias e estudantes do Campus I da UNEB, em Salvador, prestigiaram a atividade

Para a Promotora de Justiça e Coordenadora do Grupo de Atuação Especial em Defesa das Mulheres da Bahia (Gedem) do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), Márcia Teixeira, a Lei Maria da Penha proporcionou o aumento do número de registros de agressões contra a mulher.

“As medidas protetivas, a facilidade da denúncia, e o rigor na investigação, na atuação e na responsabilização dos crimes, encorajou a mulher a delatar seu agressor. Além disso, hoje as vítimas contam com outros recursos da política de enfrentamento à violência doméstica que estão previstos na Lei, como acompanhamento psicológico”, destacou a Promotora.

O evento reservou ainda a participação da Coordenadora de Ações Temáticas da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Maria Alice Bittencourt, que destacou a representação da mulher no mercado de trabalho e como chefe de família.

“Houve um aumento de empregos formais para as mulheres, em Salvador e Região Metropolitana. Mas, quando se analisa onde estão essas mulheres, percebe-se que grande parte delas está ocupando postos de trabalho menos qualificados e com baixa remuneração. Isso acontece mais visivelmente nas camadas mais baixas da pirâmide social, onde a maioria é a chefe de família”, avaliou Maria Alice.

O debate contou também com a participação da Pró-Reitora de Ensino de Graduação (PROGRAD), Kathia Marise Sales, da Gerente de Qualidade de Vida no Trabalho da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PGDP), Lúcia de Lima, e da Assessora da Vice-Reitoria, Cláudia de Santana, e da Assessora Especial de Cultura e Artes(Ascult), Isa Trigo .

Programação homenageia Dia da Mulher

mulher_post2

Equipe coordenada pelo professor Dilton Cerqueira (Gtef) realizou sessões de massagem

A mesa-redonda integrou uma série de atividades desenvolvidas pela UNEB, por meio da PGDP, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março.

Na última segunda-feira (9), a universidade realizou uma programação especial que reservou Recital de Poesia, Sessões de Limpeza de pele, oficina de artesanato e a palestra vivencial Reduzindo o estresse através da respiração, proferida por Eric Bispo, da Fundação Arte de Viver.

O Grupo de Trabalho de Educação Física (Gtef), vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da UNEB, participou da iniciativa realizando massagens e exercícios laborais.

Segundo Dilton Cerqueira, essas intervenções terapêuticas no ambiente de trabalho objetivam promover a redução do estresse e aumentar a qualidade de vida e bem-estar físico, mental e social dos servidores.

Fotos: Juliana Cardoso/Ascom e Maiana Alcântara/PROEX


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: