POR Ascom/Wania Dias, 27 jan 2015, 08H20

UNEB divulga resultados de Pesquisa de Comunicação Interna

Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

x

Slogan da campanha que divulgou a Pesquisa de Comunicação Interna da UNEB


A UNEB, por meio da Assessoria de Comunicação (Ascom), disponibiliza para toda comunidade acadêmica os resultados da Pesquisa de Comunicação Interna da Universidade, aplicada entre 8 de setembro e 31 de outubro de 2014. A pesquisa contou com a participação de 1.251 pessoas entre estudantes, professores e técnicos administrativos de todos os campi da instituição.

Esta é a primeira vez que a Instituição realiza uma consulta avaliativa desse porte com o objetivo de coletar informações dos diferentes públicos que compõem o ambiente interno da Universidade sobre preferências e hábitos relativos à comunicação interna e a utilização dos seus canais de comunicação.

Conforme o Assessor de Comunicação da UNEB, o jornalista Deivison Fiuza, os resultados dessa pesquisa devem orientar estrategicamente as ações de comunicação que serão desenvolvidas pela Assessoria a partir desse ano.

“Uma das primeiras ações que implementamos no início da gestão foi consolidar a realização dessa pesquisa. Não podíamos criar e nem desenvolver qualquer projeto ou ação de comunicação sem as devidas referências que esses resultados agora nos trazem. Uma pesquisa de orientação precede o sucesso de um projeto de comunicação”, afirma o assessor.

A pesquisa contemplou pontos estratégicos da comunicação interna como tipo de conteúdo veiculado, canais de comunicação mais acessados, frequências de acesso, grau de importância atribuído às ferramentas, grau de conhecimento dos canais de comunicação e setores relacionados, relacionamentos internos entre setores, entre funcionários e chefias, bem como uma avaliação da imagem institucional da UNEB perante a sociedade feita pela comunidade interna.

Portal de internet da UNEB

O Portal da UNEB foi um dos pontos de maior destaque na pesquisa. De acordo com a consulta, 49,1% da comunidade acadêmica apontou o site institucional como o canal de comunicação mais utilizado para obter informações sobre a universidade.

Mais de 33% dos pesquisados afirmaram que acessam o Portal da UNEB diariamente, e 50,6% apontou que o tipo de informação mais procurada no portal são as notícias. No quesito conteúdo, metade dos entrevistados classificou como “Boa” a qualidade das informações veiculadas no portal. A maioria (38,5%) também avaliou positivamente a atualização das informações disponíveis no site.

“Em 2014 o Núcleo de Jornalismo da ASCOM publicou 914 matérias no portal, isso equivale a mais ou menos quatro matérias por dia útil, sempre destacando as ações administrativas e acadêmicas da UNEB. Acho que a busca por conteúdo noticioso apontada pela pesquisa pode ser atribuída a esse trabalho de atualização constante do portal”, avalia o assessor Deivison Fiuza.

Embora o Portal da UNEB tenha sido bem avaliado na pesquisa, o modelo atual será totalmente substituído em 2015 por um novo Portal, conforme a Assessoria de Comunicação da Instituição. “A universidade precisa de um portal mais eficiente e dinâmico. Hoje, a UNEB possui 248 sites setoriais de cursos, departamentos, programas de pós-graduação e eventos. A maioria deles não está padronizado. O nosso desafio é criar e manter uma identidade institucional virtual respeitando as características e especificidades culturais das regiões onde os departamento e setores da Universidade estão inseridos”, afirma Fiuza.

No momento, a Instituição está elaborando edital para contratação de uma empresa especializada que será responsável pelo desenvolvimento do novo Portal. O trabalho será coordenado pela ASCOM.

x

Os resultados da pesquisa vão orientar estrategicamente as ações de comunicação que serão desenvolvidas pela Ascom


WEBTV. UNEB

A Pesquisa também revelou que 52% dos pesquisados não conhecem a WEBTV.UNEB, mais de 60% nunca assistiu suas produções, 70% não conhece os seus programas e 89% da comunidade nunca realizou trabalhos em parceria com a WEBTV. Entretanto, quando perguntados sobre o grau de importância atribuído à existência de uma TV universitária na UNEB, 46,4% responderam que é muito importante.

Na avaliação do assessor técnico da ASCOM Paulo Coelho, atual coordenador da WEBTV, os dados da pesquisa demonstram que a implantação da WEBTV na universidade, em substituição a antiga TV UNEB, não obteve sucesso. “A criação da WEBTV resultou em um formato de TV que prioriza a produção experimental de programas isolados em vez de um formato profissional de grade de exibição de TV”, destacou.

“Observem que 46% consideram muito importante a existência da TV universitária, que é estruturalmente diferente do formato WEBTV que existe hoje”, ressalta Paulo. A TV UNEB participava do canal universitário da Bahia através da Lei de Concessão de TV a Cabo, e tinha parcerias com a TV UCSAL, TV UNIFACS e TV UFBA. “Essa estrutura possibilitava a construção de uma programação de produções exclusivamente universitárias. Portanto, mais focada”.

Conforme Paulo, a TV universitária possibilita uma maior interação entre a TV e as comunidades interna e externa. “Quando a pesquisa aponta que 89% da comunidade nunca realizou trabalhos em parceria com a WEBTV, isso se deve, acredito, por dois motivos. Falta de uma grade de exibição consolidada e permanente, e falta de uma produção articulada com as demandas acadêmicas e pedagógicas da Instituição”, destacou.

Conforme Paulo, um novo projeto de reestruturação da atual WEBTV vai transformá-la na TV UNEB REDE DE COMUNICAÇÃO (REDCOM), iniciativa que visa consolidar um modelo de comunicação integrada e articulada para toda a Universidade, através de uma produção e veiculação audiovisual horizontal, ou seja, feita por todos e para todos. “Esse formato se aproxima mais da TV universitária considerada muito importante pelos 46% dos entrevistados”, afirma.

A REDCOM será composta pelo Departamento de Ciências Humanas (WEBTV.UNEB -Núcleo Juazeiro), pelos Departamentos de Educação (Salvador e Coité), pelo Campus Virtual UNEAD e pela WEBTV. UNEB – Salvador.

Ouvidoria e clima organizacional

A pesquisa contemplou ainda outro canal de comunicação disponível na Universidade: a Ouvidoria. Os dados coletados indicam que 41,9% da comunidade acadêmica não tem o hábito de se manifestar através de elogios, críticas ou sugestões. Mais de 42,8% dos participantes afirmaram conhecer a Ouvidoria, porém nunca utilizaram os seus serviços.

Conforme o atual Ouvidor da UNEB, Neirivan das Virgens, além de um trabalho de reestruturação interna do setor, algumas ações foram desenvolvidas ao longo de 2014 para tornar a ouvidoria mais acessível à comunidade unebiana. “Acredito que o trabalho de divulgação da Ouvidoria iniciado no ano passado, através de cartazes e cartilhas informativas sobre o que é e como funciona a ouvidoria da UNEB, ainda está em andamento”, afirmou Neirivan, ressaltando que em 2015 o trabalho de aproximação entre o setor e comunidade vai continuar, principalmente a partir da implementação de um novo projeto denominado “Ouvidoria em Campo”.

O quesito Clima Organizacional foi respondido apenas por técnicos e professores. Esse item da pesquisa teve como objetivo avaliar a opinião dos participantes sobre o seu relacionamento com superiores e colegas de trabalho.

A grande maioria declarou possuir “Ótimo” (47,7%) ou “Bom” (41,5%) relacionamento com seus superiores. Da mesma forma, 91,7% afirmou possuir “Ótima” (51,3%) ou “Boa” (40,4%) relação com os colegas.

Confira a Pesquisa na íntegra aqui.


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: