POR Ascom/Wania Dias, 05 jul 2013, 11H29

Ministra Luiza Bairros profere aula magna do curso de Direito para assentados

Sirleia Araújo
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

Curso vai formar  trabalhadores rurais da Bahia, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte e São Paulo

Curso vai formar trabalhadores rurais da Bahia, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte e São Paulo


“Queremos mais felicidades no céu deste olhar cor de anil no verde esperança sem fogo, bandeira que o povo assumiu, no verde esperança sem fogo, bandeira que o povo assumiu, a ordem é ninguém passar fome, progresso é o povo feliz, a reforma agrária é a volta do agricultor à raiz.”

xx

Lourisvaldo Valentim: "Nosso curso de Direito é o terceiro melhor do país"

Os versos da música Ordem e Progresso, da cantora Beth Carvalho, deram início a cerimônia de abertura da aula inaugural da primeira turma da graduação especial em Direito para beneficiários da reforma agrária, na última quarta-feira (4), no Teatro UNEB, no Campus I da universidade, em Salvador.

A aula magna foi proferida por Luiza Bairros, ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), vinculada a Presidência da República, (foto home). “É preciso ampliar a disposição política de enfrentar a desigualdade e o racismo como condição indispensável e essencial para a consolidação do processo democrático”, ressaltou a ministra.

A mesa de abertura do evento contou com a presença do reitor da universidade, Lourisvaldo Valentim, da vice-reitora da UNEB, Adriana Marmori, da coordenadora do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Clarice Santos, da superintendente de Desenvolvimento da Educação Básica, Amélia Maraux e da secretária de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM), Vera Lúcia Barbosa.

“Estamos em festa! É uma enorme alegria poder ofertar um curso de direito, considerado o terceiro melhor do país, para os trabalhadores dos movimentos sociais, é uma grande vitória, me sinto realizado em ver a universidade atender as necessidades da população”, comemorou o reitor.


Reportagem de cobertura da TV UNEB

Parceria entre a universidade e o Incra

Clarice: " A UNEB foi uma das primeiras universidades a abrir as portas para esse programa

Clarice: " A UNEB foi uma das primeiras universidades a abrir as portas para esse programa

A graduação especial em Direito é fruto do convênio firmado entre a UNEB e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, por meio do Pronera.

A coordenadora do programa, destacou que a universidade foi pioneira em adotar ações que atendam às políticas sociais.

“A UNEB foi uma das primeiras universidades a abrir as portas para esse programa, é uma satisfação e um desafio proporcionar esse curso para uma turma diferenciada por terem alcançado essa vitória por meio de uma política afirmativa”, destacou Clarice Santos.

A vice-reitora Adriana Marmori ressaltou a experiência adquirida pela universidade em iniciativas voltadas para os beneficiários do campo.

“A UNEB tem experiência a mais de 15 anos com a educação dos homens e mulheres do campo, essa parceria com o Incra vem para reforçar o papel social que a instituição sempre teve”, frisou.

A secretária de políticas para mulheres, Vera Lúcia Barbosa parabenizou a iniciativa da UNEB em proporcionar juntamente com o Incra essa graduação ao camponês.

Marivânea: "É o povo do campo ocupando a academia do conhecimento"

Marivânea: "É o povo do campo ocupando a academia do conhecimento"

“Essa iniciativa é positiva para o trabalhador rural, é um compartilhamento de experiências do campo com a universidade, é a demonstração do comprometimento que a universidade tem com a população”, afirma  a secretária.

50 estudantes selecionados

O evento reuniu os 50 estudantes selecionados, todos participantes dos projetos de assentamento criados ou reconhecidos pelo Incra e do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF).

“É o povo do campo ocupando a academia do conhecimento e conhecimento é poder, o poder é uma arma, precisamos de muitas armas para fortalecer a luta dos trabalhadores rurais”, destacou Marivânea de Jesus do Movimento dos trabalhadores assentados e acampados (CETA) de Pindobaçu, interior baiano.

Foram selecionados trabalhadores de estados como Bahia, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte e São Paulo.

Rosalvo: "É uma conquista da classe trabalhadora. Vou finalmente cursar o ensino superior"

Rosalvo: "É uma conquista da classe trabalhadora. Vou finalmente cursar o ensino superior"

“É uma conquista da classe trabalhadora, é uma honra, sou filho de camponês e na minha juventude não tive a oportunidade de fazer uma faculdade e agora por meio desse programa vou finalmente cursar o ensino superior”, contou emocionado o aluno Rosalvo dos Santos de 54 anos, membro do MST de Vitória da Conquista.

A graduação tem duração de 10 semestres, dividido em tempo escola e tempo comunidade. Durante o tempo escola as aulas serão realizadas em Salvador, todos os custos pagos pela UNEB e o tempo comunidade será feito no assentamento de cada estudante.

Também participaram do evento os pró-reitores de Graduação (Prograd), Antônio Amorim, de Extensão (Proex), Manuela Barreto, de Pós-Graduação (PPG), José Cláudio Rocha, o coordenador do colegiado de direito, Maurício Araújo, o diretor do Departamento de Ciências Humanas (DCH), Antônio José de Azevedo, o presidente executivo da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A. (EBDA), Elionaldo de Faro, e o superintendente do Incra, Luís Pondé.

Fotos: Cindi Rios/Ascom

Galeria de fotos


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: