POR Ascom / Danilo Oliveira, 05 dez 2012, 19H44

Conceição do Coité comemora cinco anos do programa para terceira idade

coite1

O programa Uati beneficia cerca de 100 participantes em Conceição do Coité. Fotos: Divulgação

Os participantes do programa Universidade Aberta à Terceira Idade (Uati) no Campus XIV da UNEB, em Conceição do Coité, comemoraram na última segunda-feira (3), os cinco anos de existência da iniciativa no departamento.

Coordenador da Uati na unidade desde 2007, o professor Henrique Valença ressaltou que neste período a programa conquistou muitas vitórias, sobretudo, no que diz respeito à autoestima, à socialização e à autonomia do conhecimento.

Ainda segundo Henrique, outro triunfo da iniciativa é o incentivo a leitura.

“Ao participarem das nossas oficinas, os alunos puderam ler mais, se informar e assim, ter conhecimento sobre o Estatuto do Idoso”, ressaltou o coordenador, destacando ainda que atualmente o programa conta com 100 participantes.

Aos 68 anos de idade, Maria Eridan, que já foi eleita Miss Uati, confessa que sua vida mudou depois que começou a participar do projeto.

“Me sinto muito bem aqui, inclusive, tenho recomendado para todas as minhas amigas. Costumo dizer para elas que aqui nós brincamos, voltamos a ser criança, aprendemos sobre saúde, como se cuidar”, destacou Maria, acrescentando que na Uati todos os problemas desaparecem.

Já Andrelina Brandão, aos 75 anos, revela que o programa foi responsável pela melhoria da sua saúde física e mental: “São anos de saúde. A Uati curou meu estresse e minha gastrite nervosa acabou. Cinco anos e nunca mais fui ao médico”.

Reinserção social

Monitora da Uati desde a sua implantação, Margarete Reis frisou que a mudança do humor e da autoestima dos participantes é sensível e que, atualmente, os alunos fazem questão de participar de todas as atividades.

“Querendo ou não, o idoso é esquecido, e quando ele vem para UATI descobre que ainda tem oportunidade. Muitas vezes, na família, ele só quer uma atenção para conversar e o filho não tem essa paciência, mas aqui eles têm esse espaço”, ressalta a professora Liliane Araújo.

As aulas acontecem três dias por semana e os participantes contam com lanche e transporte gratuitos para levá-los até o departamento da UNEB, onde o programa é realizado.

“Depois da UATI, passei a ver o processo de envelhecimento sob uma nova ótica e a cada dia aprendo mais sobre as questões do autoconhecimento e do respeito às diversidades, pois percebo que as pessoas idosas não estão sozinhas por falta de opção, mas em pleno exercício de seu direito de ser independente. Confesso que hoje sou uma pessoa bem melhor do que era há cinco anos e sei que a convivência tem me transformado em uma pessoa cada vez mais humanizada”, concluiu emocionado o coordenador do programa, Henrique Valença.

Texto: Renilson Silva, agente de comunicação/Campus XVI, com edição da Ascom. Imagem (home): Divulgação.


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: