POR Ascom/Toni Vasconcelos, 09 ago 2012, 19H07

Nova edição da revista Cinzas no Café destaca cultura africana

Laís Oliveira
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação


André Betonnasi, Pardal Jaguaripe, Inussa Gomes, Davi Nunes e Marcio Costa

Professor e estudantes de letras e de design do Campus I produzem a revista. Fotos: Cindi Rios/Ascom

Professora Yeda Pessoa de Castro

Yeda Pessoa de Castro foi homenageada pela revista

São 35 páginas de criativas seções, com entrevistas, contos, crônicas, fotografias, quadrinhos e artigos produzidos por estudantes e professores de instituições de ensino superior.

Este dinâmico universo de linguagens integra a revista Cinzas no Café, que teve sua segunda edição lançada na noite de ontem (8), no Teatro UNEB, Campus I da universidade, em Salvador.

A publicação é produzida pelos estudantes do sétimo semestre do curso de letras da UNEB Davi Nunes, Inussa Gomes, Pardal do Jaguaripe e Marcio Costa, além dos graduandos de design Enio Saldanha e Lina Mendes e da designer Cajila Caã.

“Nessa edição, mais voltada à cultura africana, fizemos uma homenagem a professora Yeda Pessoa de Castro e temos entrevistas exclusivas com o escritor angolano José Eduardo Agualusa e com o escritor baiano Aleilton Fonseca”, explicou Inussa Gomes, poeta e contista da revista.

Fonte de incentivo à leitura e à escrita

A cerimônia de lançamento da revista abriu as comemorações pelos 30 anos da UNEB, festejado em junho de 2013.

Corpo-Adriana-Marmori

Adriana: espaço de difusão das produções discentes

“A Cinzas no Café, como espaço para difusão das produções dos discentes, é uma iniciativa louvável e fonte de incentivo à leitura e à escrita”, frisou a vice-reitora Adriana Marmori, que representou o reitor Lourisvaldo Valentim no evento.

Adriana completou: “Só tenho a parabenizar os alunos por essa iniciativa. Eles foram muito felizes na escolha do tema cultura africana e ao trazer como capa a professora Yeda, que é uma sábia e premiada especialista da área”.

De acordo com Yeda, que coordena o Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros em Línguas e Culturas (Ngealc) da universidade, foi uma surpresa a homenagem: “Fui surpreendida com a capa da revista Cinzas no Café. Essa é mais uma demonstração do carinho que a UNEB tem por mim. Sou orgulhosa por pertencer a essa família”.

Cata(e)ventos, Nu circuito e Pimenta nos olhos

A publicação, que possui versões impressas e digitais e é realizada trimestralmente, utiliza o discurso acadêmico e literário em seções intituladas Entornos, Chápoético, Cata(e)ventos, Cinzas indica!, Caiu na rede é texto, Nu circuito, Teatro-entrevista e Pimenta nos olhos.

Corpo-Josane

Joseane: "Estudantes são ótimos escritores"

De acordo com o professor André Betonnasi, responsável pelo projeto gráfico da revista e coordenador do Laboratório de Quadrinhos e Ilustrações (Lab-HQ) do campus, essa é uma oportunidade para que os estudantes aprendam a trabalhar com prazos, “é um ótimo aprendizado prático”.

“Já tive o prazer de ler a primeira edição da revista e essa deve estar tão boa quanto, ou melhor. Esse é um trabalho muito interessante, produzido por estudantes do campus que possuem uma boa literatura e são ótimos escritores”, avaliou Josane Silva, estudante do 8º semestre do curso de letras com espanhol da UNEB.

Segundo Davi Nunes, editor-chefe da revista, várias foram as dificuldades enfrentadas para chegar ao produto final, “desde unir propostas, agregar estudantes, planejar e fazer o projeto. A intenção é publicarmos a próxima edição já em novembro”.

Artigo retrata olhar sobre a cegueira

Vanessa dos Santos, licenciada em letras vernáculas pela UNEB e graduanda do curso de ciências sociais pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), foi uma das colaboradoras da revista com o artigo Um olhar sobre a cegueira.

Corpo-entrevistada2

Vanessa é uma das colaboradoras da Cinzas no Café

“O meu texto aborda a descoberta do eu e do outro, da identidade e do quanto as pessoas perdem o sentido das coisas e como as relações interpessoais se transformaram em imediatismo”, explicou Vanessa.

O encerramento do evento contou com a participação do cantor, rapper e compositor Afro Jhow, que desenvolve trabalho artístico sobre a cultura afrobaiana.

Pardal Jaguaripe, revisor e colunista da revista, adiantou que em breve acontecerá o lançamento de edital para seleção de textos da próxima edição.

“Temos pretensão de continuar produzindo a revista depois de formados”, sinalizou Pardal.

A publicação tem o selo da Editora da UNEB (EdUNEB) e o apoio da Pró-Reitoria Assistência Estudantil (Praes) da universidade, do Departamento de Ciências Humanas (DCH) do campus, do Centro de Pesquisa em Educação e Desenvolvimento Regional (CPEDR) e do Lab-HQ.


Reportagem de cobertura da TV UNEB

Galeria de fotos


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: