POR Ascom/Toni Vasconcelos, 18 jul 2012, 16H27

Cânone morto, digital posto: especialistas debatem arte e meios digitais

Vicente Andrade
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação


lynn

Lynn Alves: desenvolvimento tecnológico possibilita expressão da arte. Fotos: Juliana Araújo/Ascom

A arte humaniza a realidade artificial ou esta realidade torna a arte mais automatizada?

Para a professora Lynn Alves (foto home, ao microfone), coordenadora do grupo comunidades virtuais de aprendizagem da UNEB, o desenvolvimento tecnológico vem possibilitando outras formas de expressão da arte.

corpo_Nadja

Nadja Nunes: incentivo à leitura e à escrita

Lynn discutiu a questão na abertura do evento Cânone morto, digital posto: @rte.com, que teve início hoje pela manhã (18), no Auditório Ivete Sacramento, no Campus I da universidade, em Salvador.

A ação, promovida pela revista Cinzas no Café, publicação dos estudantes do curso de letras da unidade, refletiu sobre como as artes acadêmica e popular podem se encaixar nos diversos formatos digitais.

“A iniciativa dos estudantes em realizar este evento é fator fundamental para incentivar a leitura e a escrita”, pontuou Nadja Nunes, diretora da Editora da UNEB (EdUNEB).

A programação de abertura do evento contou ainda com as participações de Dilcélia Sampaio, coordenadora do Núcleo de Pesquisa e Extensão (Nupe), e de Felipe Pereira, editor de webdesing da revista Africanias.

corpo_Camila

Camila Santana considerou o evento enriquecedor

Entre as atividades que seguem sendo realizadas até à noite desta quarta-feira, estão mesa-redonda, lançamento de livro e exposições de artes, grafite e fotografia, apresentação musical e exibição de vídeos.

“O evento é enriquecedor, tanto pela dinâmica quanto pelo contato com as diferentes expressões artísticas”, ressaltou Camila Santana, estudante do sétimo semestre do curso de relações públicas, oferecido no campus.

Um dos coordenadores da iniciativa, o estudante Davi Nunes salientou a importância de discentes de outros cursos participarem dos debates: “Esse é também um meio de interação. Nosso objetivo é incentivar a produção da arte independentemente de sua forma”.

corpo_David

Davi Nunes: interação entre discentes

Pré-lançamento

A programação do evento destaca ainda o pré-lançamento da segunda edição da revista Cinzas no Café.

De acordo com o estudante do curso de letras Ademilton Júnior, os alunos necessitam de espaços concretos para expressarem suas tendências artísticas: “A revista é um meio para estudantes e professores divulgarem suas ideias”, comentou.

A publicação conta com o apoio da EdUNEB.


Reportagem de cobertura da TV UNEB

Galeria de fotos


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: