POR Ascom/Toni Vasconcelos, 04 nov 2011, 16H14

Colóquio internacional avalia multiculturalismo da África e países da diáspora

Danilo Oliveira
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação


Com o objetivo de instigar a pesquisa sobre os impactos do multiculturalismo para o desenvolvimento das sociedades da África e dos países da diáspora africana, o Centro de Artes e Civilização Negro-Africanas (Cbaac) da Nigéria realiza o VII Colóquio Global Africano.

O evento será realizado entre os dias 8 e 10 deste mês, no Hotel Sol Bahia, em Salvador.

O colóquio é gratuito e aberto ao público externo. As inscrições devem ser realizadas, pelo período da manhã, no primeiro dia de atividades.

A programação reserva mesas-redondas e a conferência magna A África e a diáspora africana no Brasil, a ser proferida pelo docente da Universidade de Temple (Estados Unidos), Molefi Kete Asante.

A iniciativa conta com o apoio do governo federal, por meio da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), e do governo do estado, por intermédio da UNEB e Secretaria estadual de Cultura (Secult).

Representante da UNEB na organização do evento, Cláudia Rocha, vice-diretora do Centro de Estudos dos Povos Afro-Índio-Americanos (Cepaia) da universidade, destaca que o evento pretende dialogar sobre experiências de povos que souberam aproveitar a sua pluralidade étnica para promover a harmonia e evitar conflitos, e desenvolver estratégias para proteger e promover a cultura das minorias no continente africano.

“Nossa universidade é comprometida politicamente com o desenvolvimento das populações negras, o que pode ser percebido no pioneirismo da implantação do sistema de cotas raciais e na preocupação em construir um programa permanente de ações afirmativas”, frisa Cláudia Rocha.

Estão convidados para participar da abertura do evento a ministra-chefe da Seppir, Luiza Bairros, o reitor da UNEB, Lourisvaldo Valentim, o titular da Secult, Antônio Rubim, e o diretor-geral do Cbaac, Tunde Babawale, além de autoridades dos governos da Nigéria e do Brasil.

Esta é a terceira edição do Colóquio Global Africano no Brasil e a primeira na Bahia. Em 2008, foi instalado no Rio de Janeiro e, em 2009, em Brasília.

A escolha de Salvador para sediar o evento este ano deve-se, segundo o Cbaac, à posição de destaque do estado, que possui, entre outras qualidades enumeradas, a maior concentração de populações de origem africana nas Américas.

O evento recebe apoio também do Grupo Pan-Americano de Pesquisa e Estratégias Políticas (Panafstrag) e da Fundação Cultural Palmares.

Informações: cepaianauneb@gmail.com.

Foto (home): Divulgação


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: