POR Ascom/Toni Vasconcelos, 12 nov 2010, 20H29

Estudantes de Desenho Industrial vão transformar lixo em instrumentos musicais

Danilo Oliveira
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação


Agentes ambientais da cooperativa terão apoio técnico dos estudantes e docentes do curso de Desenho Industrial. Fotos:Cindi Rios/Ascom

Reitor Lourisvaldo Valentim e gestores da UNEB recepcionaram cooperados. Fotos: Cindi Rios/Ascom

Estudantes do curso de Desenho Industrial, do Campus I da UNEB, em Salvador, vão transformar material reciclável em instrumentos musicais. A parceria foi firmada com a Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem Amigos do Planeta, nesta sexta-feira, dia 12 de novembro, em reunião na Reitoria da universidade.

A ação vai integrar atividades da disciplina desenvolvimento do projeto do produto 3, na qual os estudantes terão que desenvolver uma tecnologia social de reciclagem para a entidade, que tem sede em Lauro de Freitas.

“Parcerias como essa nos ajudam a colecionar conquistas na dignificação do trabalho e no desenvolvimento humanístico de crianças em situação de vulnerabilidade. Este projeto soma-se a tantos outros da nossa universidade que têm ajudado no avanço social do estado”, pontuou o reitor da UNEB, Lourisvaldo Valentim.

Ana Beatriz Simon: Desenvolvem

Ana Beatriz quer ajudar na contrução da oficina de intrumentos musicais na cooperativa

 Os instrumentos produzidos pelos discentes vão beneficiar a Escola de Música Tocando Ciranda, mantida pela cooperativa há cinco anos. A parceria também possibilita um intercâmbio técnico com os cooperados, que vão acompanhar as atividades da disciplina e aprender a dar novas utilidades para os materiais coletados.

“Além de trazer os cooperados para participarem das atividades de nossa disciplina, enviaremos representantes do curso para análise das necessidades da cooperativa. Também queremos investir em uma oficina para a construção de instrumentos musicais na sede da entidade”, afirmou Ana Beatriz Simon, professora da disciplina.

Desde o início deste semestre, três cooperados participam das aulas ministradas pela professora Ana Beatriz. Os instrumentos que serão produzidos têm entrega prevista para março de 2011.

Manoel Basílio, presidente da Amigos do Planeta, contou sobre os problemas da produção excessiva de resíduos pela população, e as dificuldades enfrentadas no processo de dignificação da profissão de agentes ambientais.

Manoel Basílio festejou apoio da UNEB maior profissionalização da cooperativa

Manoel Basílio festejou apoio da UNEB para maior profissionalização das atividades da entidade

“Calculo que  no bairro de Portão 12 toneladas de lixo são produzidas diariamente. Preocupado com o trabalho desordenado dos catadores e a realidade do local, criei a cooperativa. E agora com o apoio da UNEB acredito numa maior profissionalização de nossas atividades”, ressaltou Manoel.

Hoje a Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem Amigos do Planeta atende a região metropolitana de Salvador e conta com a participação de 13 cooperados. Na Escola de Música Tocando Ciranda, a entidade, com o apoio do Rotary Club de Lauro de Freitas, beneficia cerca de 80 crianças do município.

“Estamos investindo 50 mil dólares em meios de transporte, equipamentos mecânicos e eletrônicos, e instrumentos musicais”, explicou Clóvis Ribeiro, governador do Rotary Club.

Prestigiaram o encontro o diretor da Unidade de Desenvolvimento Organizacional (UDO) da UNEB, Djalma Fiuza – que também leciona no curso de Desenho Industrial , o pró-reitor de Administração (Proad), Durval Uzêda, a coordenadora do colegiado do curso, Célia Correia, e a graduanda Deise Barros. Representaram a escola de música da cooperativa a professora Maria Elisa e o aluno de percussão Iuri Batista.

Iuri Batista representou a Escola de Música Tocando Ciranda

Iuri Batista tem aulas de percussão na Escola de Música Tocando Ciranda

Assistência solidária

Esse é o sexto projeto de assistência solidária que a UNEB promove em parceria com cooperativas baianas.

A universidade tem contribuído com ações como o Camapet – produção de bijuterias utilizando garrafas pet –, que vem beneficiando comunidades vulneráveis do estado, aumentando a renda e dando um ofício à população assistida.

“Com a assistência queremos que as entidades ampliem a sua renda e capacidade produtiva, potencializando as atividades exercidas pelas cooperativas”, explicou Ana Beatriz Simon.

Galeria de fotos


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: