POR Ascom/Toni Vasconcelos, 11 nov 2010, 22H15

UNEB deve firmar acordo de cooperação com universidade de Angola

Alexandre Levi*
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

 

Professores e estudantes interessados na colaboração com Angola participaram do encontro

Professores e estudantes interessados na parceria com país africano foram ao evento. Fotos: Cindi Rios/Ascom

Um protocolo de intenção para cooperação técnico-científica foi assinado pela UNEB e a Universidade Kimpa Vita (UKV), localizada na província do Uíge, em Angola.

A cerimônia de assinatura foi realizada na manhã desta quinta-feira, dia 11 de novembro, no auditório do Centro de Pesquisa em Educação e Desenvolvimento Regional (CPEDR), Campus I da UNEB, em Salvador (foto home).

O ato integrou a programação comemorativa aos 35 anos de independência do país africano. Na ocasião, o vice-reitor da UKV, Heitor Timóteo, ministrou palestra sobre a visão estratégica da instituição de ensino superior angolana.

Na visita à UNEB, o vice-reitor esteve acompanhado do adito cultural e diretor da Casa de Angola na Bahia, Camilo Afonso.

Entre os gestores da UNEB que prestigiaram o evento, estão a vice-reitora Amélia Maraux e os pró-reitores de Graduação (Prograd), José Bites, de pós-graduação (PPG), José Cláudio Rocha, e de Extensão (Proex), Adriana Marmori. Professores e estudantes interessados no intercâmbio com Angola também participaram do encontro.

Cursos em Angola

yeda_castro_angola

Professora Yeda de Castro fez primeiros contatos com administração da UKV, quando viajou para Angola

Segundo a coordenadora do Grupo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros de Línguas e Culturas (Geaalc) da UNEB, Yeda de Castro, responsável pela aproximação entre as duas instituições, Angola é um dos países africanos mais significativos para parcerias e intercâmbio com o Brasil.

“Cerca de 75% dos quatro milhões de africanos escravizados trazidos para o Brasil foram provenientes da Península do Cabo, região onde Angola está localizada. Portanto, o fluxo e o refluxo de informações entre as duas nações significam um resgate cultural e um avanço científico, tanto para um quanto para outro”, considerou a coordenadora.

Com a assinatura do protocolo de intenção, as instituições se comprometem com o intercâmbio científico e cultural, contribuindo com a formação do corpo docente e discente de ambas as universidades.

O acordo prevê ainda a criação de cursos de graduação e pós graduação, presenciais e a distância (EaD), pela UNEB no campus da UKV.

palestrante

Heitor Timóteo: aproximar de bons parceiros como a UNEB para qualificar quadro docente da UKV

 O vice-reitor Heitor Timóteo salientou o interesse em construir uma universidade de aproximação e fixação. “Somos uma universidade nova e, por isso, nosso quadro docente é composto por muitos licenciados e poucos mestres e doutores. Precisamos nos aproximar de bons parceiros como a UNEB para qualificar nosso quadro docente. Também, oferecendo bons cursos, queremos contribuir para fixar a população nos seus municípios. Assim, vamos desenvolver a economia e a estrutura de cada região de Angola e diminuir a pobreza e a fome em nosso país”, explicou.

 Parcerias internacionais

 A previsão dos gestores da UNEB e da Universidade Kimpa Vita é de firmar o convênio de cooperação até o final deste ano e, logo depois, dar início às atividades de formação dos professores africanos.

“Com essa parceria, pretendemos fazer com que, até 2016, 10% da nossa população seja universitária. Para isso, estamos planejando a criação dos centros de ensino superior, com cursos que já estão em planejamento, nas áreas de ciências humanas, biológicas e exatas”, adiantou o vice-reitor da UKV.

 Já o reitor da UNEB, Lourisvaldo Valentim, salientou o significado da assinatura do protocolo em uma data tão especial para os angolanos.

 “Angola está despontando para o mundo como uma nação de grande potencial de desenvolvimento econômico, social, científico e cultural. Queremos colaborar com esse crescimento e ajudar o povo desse importante país africano”, disse Valentim.

O reitor destacou também uma das metas da atual administração universitária, a de ampliar o processo de internacionalização da atuação da UNEB. Para tanto, foi criada a Assessoria Especial para Cooperação Internacional (Asseci), que está sendo coordenada pela assessora Adrianna Freire.

Atualmente, a UNEB possui 15 convênios de intercambio acadêmico e cultural com países como Argentina, Chile, Paraguai, EUA, França, Itália, Portugal, Espanha, Costa do Marfim, Moçambique e Angola.

35 anos de independência

Após um período de quase 500 anos de colonização portuguesa, a independência de Angola foi proclamada no dia 11 de novembro de 1975.

A conquista ocorreu em meio a guerras separatistas internas iniciadas na década de 1960.

Porém, o reconhecimento internacional de Angola como uma nação soberana só veio a acontecer no final do século passado, após reunião das potências européias em Berlim (Alemanha), na qual foram delimitadas as fronteiras territoriais angolanas.

Nas comemorações pela independência em Salvador, a Casa de Angola, localizada na tradicional Baixa dos Sapateiros, centro antigo da capital, está sediando vários eventos culturais, a exemplo da exposição fotográfica Angola hoje, que reúne, em tamanhos ampliados, vários cartões postais do país africano.

*Colaborou Toni Vasconcelos, assessor de Comunicação (Ascom)

Galeria de fotos

 

 


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem:



Em Destaque