POR Ascom/Toni Vasconcelos, 22 dez 2009, 16H06

Solenidade de posse de reitor e vice da UNEB acontece nesta terça-feira (22)

Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

 

O governador Jaques Wagner vai dar posse ao reitor Lourisvaldo Valentim e à vice-reitora Amélia Maraux, reeleitos para novo mandato (2010-2013) à frente da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

A sessão solene de posse está marcada para esta terça-feira, dia 22 de dezembro, às 19h, no Teatro UNEB, Campus I, em Salvador.

HAVERÁ TRANSMISSÃO DIRETA DA SESSÃO, VIA VIDEOCONFERÊNCIA, PARA CAMPI DO INTERIOR.

A solenidade será prestigiada por secretários de estado, prefeitos municipais, parlamentares e outras autoridades, lideranças dos movimentos sociais, comunidade universitária e personalidades do meio acadêmico baiano.

Eleições diretas

No último dia 12 de novembro, estudantes, professores e funcionários da UNEB foram às urnas, nos 24 campi da instituição, para escolher pelo voto direto e secreto o novo reitor e vice-reitor.

Cerca de 7,3 mil estudantes, professores e funcionários, correspondendo a 85,67% dos votos, reelegeram para novo mandato os atuais gestores da universidade, Lourisvaldo Valentim e Amélia Maraux.

O resultado das urnas foi homologado pelo Conselho Universitário (Consu), órgão máximo deliberativo da UNEB, por unanimidade, no final do mês passado, sendo encaminhado para a chancela do governador.

Inaugurações

A sessão de posse será marcada pela inauguração de importantes obras no campus da universidade, que beneficiam a comunidade acadêmica e a população de Salvador.

A começar pelo próprio Teatro UNEB, antigo auditório que ganha estrutura e porte de casa de espetáculos, a primeira da cidade em uma região marcadamente popular. Com capacidade para 450 pessoas, som e acústica de qualidade, palco, iluminação cênica, camarim, foyer, recursos de acessibilidade e estacionamento com segurança, o espaço foi decorado com dois painéis criados pelo artista plástico Juarez Paraíso. A obra representou investimento de R$1,85 milhão.

No foyer do teatro, será inaugurada a primeira Livraria Universitária da UNEB. Gerenciada pela Eduneb (editora da instituição), o espaço vai difundir a produção científica de docentes, técnicos e estudantes, além de autores de outras universidades públicas do país. Orçado em R$ 128,7 mil, o projeto inclui ainda uma cafeteria. A meta é instalar unidades da livraria nos 24 campi.

O novo prédio do Centro de Pesquisa em Desenvolvimento Regional (CPEDR), obra no valor de R$530,5 mil, vai abrigar os principais projetos de pesquisa e inovação da universidade.

A UNEB está inaugurando também uma moderna portaria de acesso ao campus, assegurando melhor segurança e ordenamento do tráfego no local. O projeto soma-se ao novo sistema viário interno, com pistas pavimentadas em concreto, dotadas de guarda-corpos, recursos de acessibilidade e plataformas redutoras de velocidade. No total, o investimento chegou a R$370 mil.

Por fim, será inaugurada a rede de videoconferência da UNEB, que conecta os 24 campi da instituição. Com esse recurso, a maior universidade multicampi do Nordeste do país vai aproximar a comunidade acadêmica dos vários municípios, agilizar decisões e economizar despesas com transporte e hospedagem. A rede demandou aporte de R$4,8 milhões.

Gestão inovadora

Lourisvaldo Valentim da Silva nasceu no sertão da Bahia, no pequeno município de Contendas do Sincorá, em 1945. Especialista em Supervisão Escolar, pela Universidade do Novo México (Estados Unidos), iniciou a docência em 1969, participando do projeto de criação da UNEB desde seu começo, nos anos de 1970 e 1980.

No cargo de pró-reitor de Extensão (1998 e 2005), a UNEB deu um grande salto na realização de sua missão social: foram promovidas 3.678 ações extensionistas que beneficiaram mais de 3,2 milhões de pessoas em centenas de municípios baianos.

Por conta desse trabalho, Valentim foi eleito reitor pela primeira vez, no final de 2005, com 70,96% dos votos válidos, ao lado da vice-reitora Amélia Maraux.

O primeiro mandato de Valentim e Amélia (2006 a 2009) foi marcado pela ousadia e inovação na gestão universitária. Sempre pautado no diálogo com a comunidade interna, com os governos, os movimentos sociais, terceiro setor e iniciativa privada.

Com o apoio do governo do estado, a gestão que se encerra realizou o maior conjunto de obras, reformas e ampliações da história da UNEB.

Desde a construção de sede próprias para campi que funcionavam em prédios alugados ou cedidos, mais de 100 laboratórios para cursos na capital e interior, novos prédios para programas pós-graduação, centros de pesquisas, pavilhões de aulas, residências universitárias, até reformas, requalificações e ampliações significativas, a exemplo do Museu de Ciência e Tecnologia (MC&T), Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Ceped) e Memorial Antônio Conselheiro em Canudos.

Buscando superar limitações orçamentárias, Valentim captou R$10 milhões em emendas parlamentares para projetos em vários campi da universidade, ampliando o leque de parcerias com órgãos federais e prefeituras. Também saneou dívidas e racionalizou gastos, com economia de R$6 milhões anuais.

De somente dois mestrados em 2005, a UNEB saltou para 12 programas de pós-graduação stricto sensu, incluindo dois doutorados, além de expressiva expansão na pesquisa em áreas de ponta, como robótica, jogos eletrônicos pedagógicos e horticultura irrigada, tendo a universidade registrado suas três primeiras patentes. O acervo bibliográfico foi ampliado em 400 mil títulos nas 24 bibliotecas da instituição , entre muitos outros avanços na gestão universitária.

Clique aqui para acessar esta matéria no portal anterior


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: