POR admin, 05 nov 2009, 09H23

UNEB vence editais em química, biologia, arqueologia e paleontologia

Victor Seabra
Núcleo de Jornalismo
Assessoria de Comunicação

 

“Essa vitória mostra quão qualificados são os docentes da UNEB, e incentiva a continuarmos produzindo novos projetos de pesquisa científica para o desenvolvimento da nossa universidade.”

Com essas palavras, a professora Idália Estevam, subgerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PPG) da UNEB, resumiu o sentimento por ter seu projeto de pesquisa aprovado em edital da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

Além de Idália, os docentes Adilva Conceição, Cristiana Santana e Madson Pereira também tiveram seus projetos aprovados no referido edital.

A soma destinada aos projetos é superior a R$180 mil. Os recursos serão aplicados no desenvolvimento de pesquisas nas áreas de Química Orgânica e Analítica, Biologia Molecular, Arqueologia e Paleontologia.

O montante também vai contemplar melhorias na infraestrutura dos laboratórios da instituição. Foi o que destacou o professor Madson Pereira, do Departamento de Ciências Exatas e da Terra (DCET) do Campus I, em Salvador.

“Os recursos vão permitir a compra de aparelhos de pequeno porte para os laboratórios da universidade, o que vai dar suporte às pesquisas realizadas tanto pela graduação quanto pela pós-graduação”, destacou Madson.

Nessa quarta-feira, dia 4 de novembro, os docentes assinaram contrato de outorga do edital,  para que os recursos sejam disponibilizados até o final do ano. O período de vigência dos projetos é de dois anos.

Pioneirismo

Professora do Departamento de Educação (DEDC) do Campus VII, em Senhor do Bonfim, Cristiana Santana ressaltou que a vitória no edital da Fapesb ratifica a expansão pela qual passa UNEB em relação à pesquisa científica.

“Somos a única universidade no estado a pesquisar os sítios pré-históricos dos sambaquis. Já estamos desenvolvendo um projeto nessa área com recursos do CNPq, da ordem de R$85 mil. Agora, teremos um acréscimo de R$50 mil da Fapesb, o que mostra a seriedade do trabalho desenvolvido pela UNEB”, observou Cristiana.

Segundo Adilva Conceição, do DEDC do Campus VIII, em Paulo Afonso, a verba alcançada com o seu projeto vai estimular novas pesquisas do laboratório de biologia molecular do departamento.

“Eu e mais dois discentes vamos levantar dados sobre um tipo específico de planta da caatinga, o grupo Chamaecrista”, citou Adilva

Em 2008, professores e pesquisadores da universidade já haviam se destacado em outros editais da Fapesb. Na ocasião, dez projetos voltados para a inclusão social, preservação cultural, tecnologia e inovação foram selecionados, garantindo recursos superiores a R$700 mil.

Clique aqui para acessar esta matéria no portal anterior


Notícias relacionadas



Envie uma mensagem: